^ Back to Top

 

A Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Promoção Social (Smthps) divulgou hoje (02/5) a relação final de classificação do Processo Seletivo Simplificado da Smthps. Confira no link a relação de classificados:

 

www.silvajardim.rj.gov.br/…/RELACAO_FINAL_DOS_PROC_SELET_20…

Leia mais:Promoção Social divulga relação final de classificação do processo seletivo

A Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Promoção Social (SMTHPS) divulgou na noite de hoje (20/4) as duas respostas aos dois recursos impetrados sobre o Processo Seletivo, confira no link abaixo as respostas dos recursos:

www.silvajardim.rj.gov.br/site/phocadownload/2016/04.abril/2016.04.20/RESPOSTA_DOS_RECURSOS_smhtps_processo_seletivo.pdf

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO

 

http://www.silvajardim.rj.gov.br/site/phocadownload/2016/04.abril/2016.04.08/processo_seletivo_promocao_2016.pdf

Leia mais:Promoção Social divulga respostas a recursos do processo seletivo

A Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Promoção Social (SMTHPS) divulgou hoje (19/4) a relação dos candidatos aptos para participarem das entrevistas do Processo Seletivo Simplificado Edital nº 01/2016. As entrevistas acontecerão nos dias 25 e 26, para conferir a lista de candidatos aptos, data e horário para entrevistas o candidato deve acessar o link:

www.silvajardim.rj.gov.br/site/phocadownload/2016/04.abril/2016.04.19/Relacao_classificados_promocao_entrevista.pdf

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO

http://www.silvajardim.rj.gov.br/site/phocadownload/2016/04.abril/2016.04.08/processo_seletivo_promocao_2016.pdf

 

Leia mais:Promoção Social divulga relação de candidatos aptos para entrevistas do processo seletivo

A Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Promoção Social de Silva Jardim (SMTHPS-SJ) abriu um Processo Seletivo para preenchimento de 38 vagas imediatas e 23 vagas para cadastro de reserva. Os vencimentos são de R$ 1.166,59 a R$ 1.894,33, e para maiores informações e download do edital os interessados devem acessar o site www.silvajardim.rj.gov.br ou ligarem para o telefone (22) 2668 9422. As inscrições serão realizadas nos dias 14 e 15 de abril de 2016, das 10 às 16 horas, na SMTHPS-SJ, localizada à Rua Sansão Pedro David, n°344, Centro, Silva Jardim (ao lado do Teatro Zezé Macedo).

O edital completo pode ser acessando pelo link:

 

www.silvajardim.rj.gov.br/site/phocadownload/2016/04.abril/2016.04.08/processo_seletivo_promocao_2016.pdf

Leia mais:Promoção Social abre processo seletivo para 38 vagas

A secretaria de Trabalho Habitação e Promoção Social (Smthps) de Silva Jardim em parceria com a Coordenadoria de Indústria e Comércio da secretaria de Turismo (Semtic) apoiará os cursos que acontecerão a partir dos próximos meses para formar seringueiros que trabalharão em fazendas que cultivam seringueiras no Município. A solicitação do apoio para os treinamentos foi feita no último dia 17/12 pelo empresário Afonso de Souza Filho, proprietário da Fazenda Betel (Ampla Agropecuária), à secretária Maria Dalva Silva do Nascimento. Ele dispõe de uma plantação de 65 mil pés de seringueiras e começará a “sangrá-las” (extrair o látex) a partir deste ano o que deverá empregar uma mão-de-obra inicial de cerca de 20 trabalhadores. A escolha será feita entre os que se destacarem nos cursos de capacitação.

Na reunião, da qual também participou o Coordenador de Indústria e Comércio da Semtic, Jocenildo de Andrade, responsável pela interlocução entre a Smths e o empresário, ficou acertado que a Smthps fará a divulgação e as inscrições para os cursos, assim como providenciará o local para a sua realização que será totalmente na prática. Os cursos, gratuitos, serão ministrados por empresas de derivados de borracha de São Paulo com o apoio do núcleo da Pesagro existente em Silva Jardim. A secretária Maria Dalva e o Coordenador Jocenildo de Andrade ficaram entusiasmados com a proposta do empresário e disseram que o governo do Prefeito Anderson Alexandre dará todo o apoio possível à realização.

A princípio deverão ser duas turmas com 20 componentes cada, de ambos os sexos. O treinamento levará cerca de 10 dias em locais ainda a serem definidos. O empresário já dispõe de todo o material (vasilhames, facas, bicas e fios metálicos) necessário à extração. Os trabalhadores atuarão em ambiente saudável e acolhedor. “Os que se saírem melhor nos treinamentos, de acordo com a avaliação dos técnicos responsáveis pelos cursos, terão suas vagas asseguradas na minha plantação”, garante o empresário, informando que os primeiros serão logo aproveitados no trabalho nos 30 mil pés de seringueiras em ponto de serem “sangrados” (com sete anos de plantio) já a partir de janeiro/2016. Os demais formados e capacitados poderão ficar na “reserva” para serem aproveitados nas outras etapas da coleta do látex nas árvores que ainda não estão em condições de serem exploradas.

A Smthps também ficou de ver a possibilidade de disponibilizar um veículo para o transporte dos participantes dos cursos aos locais de treinamento, bem como dos futuros contratados aos pontos de trabalho. Afonso Filho revelou que cada trabalhador terá direito a um salário mínimo registrado em carteira, podendo perceber, no mínimo, inicialmente, mais um salário de “produtividade” e atingir o rendimento de até R$ 4 mil mensais recebendo “prêmios”, de acordo com o empenho de cada um em produtividade, qualidade e assiduidade. Cada pessoa bem treinada é capaz de sangrar até mil pés por dia.

Afonso Filho diz que também pretende promover a inclusão social recomendando que os cursos capacitem inclusive mulheres e, se possível, formadoras de casais a fim de garantir um maior rendimento às famílias. “Aliás, as mulheres até se revelam melhores “sangradoras” do que os homens, enquanto eles ficam com a parte mais pesada da extração”, ensina Afonso.

A sangria normalmente ocorre entre as três horas da madrugada e as sete da manhã, já que é recomendável que o látex e as árvores não apanhem sol durante o trabalho, o que os prejudica. Os trabalhadores também têm direito a um mês de férias por ano uma vez que há uma época em que as folhas das árvores ficam amareladas e caem o que impossibilita a coleta, pois o látex é produzido através da fotossíntese das plantas.

O empresário acrescenta que pretende lutar para implantar uma usina de beneficiamento e transformação do látex em Silva Jardim, incentivando a que mais fazendeiros plantem seringueiras no Município a fim de chegar a, no mínimo, um milhão de pés o que seria o ideal para começar tal empreendimento. O Município já dispõe de outras plantações como as dos proprietários Piton, Rivadávia e João, que também contribuem com a oferta de empregos.

Afonso lembra que Silva Jardim tem o tipo de clima e solo (calor e umidade) ideais para o cultivo da seringueira. “Aliás, me decidi a plantar seringueira aqui pelo que vi e conheci e só lamento não ter vindo antes”, diz o empresário, que está no município há cerca de 20 anos, entusiasmado com o resultado do empreendimento no qual ele já investiu cerca de R$ 5 milhões.

Como é o trabalho na Fazenda.

Os 65 mil pés de seringueiras da Fazenda Betel foram plantados nos últimos sete anos. Os que serão sangrados a partir de janeiro/2016 fazem parte da primeira remessa, quando os troncos das árvores atingem cerca de 50 centímetros de diâmetro. Afonso Filho informa que cada árvore produz um quilo de látex por mês o qual é vendido por aproximadamente R$ 5,00. A sua área plantada é de aproximadamente 500 hectares, e ele pretende chegar a 100 mil pés. A empresa conta com o apoio da Administração Municipal, através da Secretaria municipal de Agricultura, Abastecimento e Pesca (Semaap) na manutenção das estradas vicinais de acesso ao local.

O empresário também desenvolve a pecuária de corte (extensiva) com cerca de 2.500 cabeças de gado. E contará com o apoio da Prefeitura no novo empreendimento que desenvolve de semiconfinamento com pastos rotacionais (pecuária intensiva), o que vai gerar novos postos de trabalho. Atualmente ele já emprega cerca de 15 pessoas no trabalho com o gado.

O trabalho com as seringueiras, segundo Afonso, conta com o total apoio do núcleo da Pesagro (técnicos Aldo e Renato) no município que dispõe de um “Jardim Clonal” da espécie com mudas de genética do mais alto nível e que promove alta produtividade, além de serem resistentes. Cada seringueira é capaz de produzir por 40 anos. Afonso explica que as “bolas” de látex extraídas são acondicionadas em forma de “queijos”, em caixas próprias. Noventa por cento da produção de látex no País é utilizado na fabricação de pneus, ficando os restantes 10% para a produção de luvas cirúrgicas e preservativos, por exemplo.

As seringueiras da Betel são plantadas em “ruas” de seis metros de comprimento com espaçamento de três metros entre elas. Afonso revela que pretende também incluir a cultura consorciada com o plantio de cacau nos espaços existentes entre os pés de seringueiras. As seringueiras também são ótimas para a preservação do meio ambiente já que promovem grande sequestro de carbono da atmosfera.

 

Reportagem: Evaldo Peclat Nascimento

Leia mais:Silva Jardim apoiará cursos para a formação de seringueiros que serão empregados no município

Prefeitura Municipal de Silva Jardim - CNPJ: 28.741.098/0001-57 - Tels:(22) 2668-1125/2668-1430/2668-2000 - Rua Luiz Gomes, 46, Centro - Silva Jardim/RJ - CEP: 28820-000